Entrevista com administradores da TradWiki – Parte 2

| 1 Comment

Bianca Bold (PLD Assistant Administrator)
Entrevistados: Pablo Cardellino Soto, Daniel Argolo Estill e Roseli Dornelles dos Santos

>> 1ª parte da entrevistatradwiki10b

6. Além da colaboratividade, quais são outras vantagens do formato wiki?

A natureza do formato da TradWiki permite que pontos de vista divergentes convivam numa mesma página. Você pode apresentar pontos de vista de maneira aberta e diversificada. É um espaço de convivência da diferença. Inclusive, todas as páginas, além da aba “editar”, têm também a aba “discussão”, onde podemos conversar sobre as divergências e chegar a consensos sobre o conteúdo. E tudo isso pode ficar visível a todos: o histórico das mudanças, as edições e até a troca de ideias nas páginas de discussão.

Outro grande potencial da TradWiki, por sua natureza aberta, é promover um encontro entre teóricos e profissionais da tradução, ou seja, a teoria e a prática. Por um lado, os profissionais podem dar dicas sobre ferramentas, avaliar software, apresentar uma CAT tool e compartilhar informações objetivas a partir da experiência pessoal. Por outro, um pesquisador pode trazer insumos sobre o que significa usar memórias de tradução, do ponto de vista teórico, definir o que é tradução, etc. No Brasil, essa separação entre teoria e prática ainda é muito forte, são universos bem distantes. Todos temos muito a ganhar promovendo esse encontro, esse diálogo, e esse é um dos principais objetivos da TradWiki.

7. É possível alguém participar de forma anônima?

Existe a opção de você fazer login e se identificar como colaborador, mas também é possível editar uma página ou entrar numa discussão de forma anônima, e o que fica registrado é apenas o número de IP. Nada impede que a administração identifique alguém pelo IP, inibindo atividades do que na wiki chamamos de vandalismo (quando alguém entra para fazer bagunça de forma anônima, gerar polêmicas inúteis, ofender os outros). Os administradores podem bloquear um usuário e desfazer as modificações consideradas indevidas, mas, até hoje, só precisamos fazer isso no caso de spammers.

8. O projeto ainda precisa e sempre vai precisar de voluntários. Vocês podem especificar melhor as opções de colaboração?

Como já dissemos, qualquer pessoa com interesse no assunto ou pelo projeto pode participar. Às vezes, o interesse nem é direto, mas por afinidade, por amizade com gente da área, e um indivíduo pode querer fazer uma colaboração sem ser exatamente de conteúdo, participando da administração ou cuidando dos aspectos técnicos, por exemplo.

Outras colaborações muito úteis, além de criação de conteúdo: fazer pequenas revisões e acertos ortográficos, criar links para outras páginas da TradWiki, categorizar os artigos e uma infinidade de pequenas ações de manutenção que agregam muito para a qualidade da enciclopédia.

Do lado mais técnico da administração, seria excelente contar com mais colaboradores para ajudar a gerir a rede, como programadores, administradores de serviços de rede e outras questões informáticas. Não é um serviço grande; são tarefas específicas, várias coisinhas que ficam mais difíceis quando a equipe é pequena.

Além disso, precisamos de divulgação contínua. Divulgar o projeto e motivar colaboradores são desafios constantes. Estamos buscando formas de motivar as pessoas a participar mais, perder o medo de escrever, deixar a timidez de lado. Muitos acham que não sabem muita coisa, que não têm nada a falar, mas sabemos que todo mundo tem algo a dizer, mesmo que sejam três linhas. Afinal, as pessoas já fazem isso cotidianamente nas redes sociais.

Faz parte da nossa utopia criar uma cultura wiki entre os tradutores. Esperamos que desenvolvam o hábito de usar a TradWiki como fonte de consulta e espaço de colaboração, considerando a enciclopédia como parte de seu trabalho e de sua formação. Para isso, precisamos de uma campanha contínua, mostrando que é fácil e que ninguém precisa ser PhD para contribuir, embora PhDs sejam mais do que bem-vindos também.

9. Como podemos acompanhar o projeto, e o que uma pessoa deve fazer para começar a colaborar?

Temos vários canais de divulgação do trabalho: grupo do Facebook, página do Facebook, blog e Twitter. O grupo do Facebook foi o primeiro ponto de encontro, criado no início do projeto, e continua sendo onde os colaboradores e fãs batem papo. O blog é nosso principal canal de notícias, e a página do Facebook destina-se especificamente à divulgação das postagens do blog.

Começar a colaborar é bem simples: basta se cadastrar no site. Quem quiser, pode entrar em contato conosco pessoalmente ou pelos canais mencionados. Não tem burocracia para entrar na equipe. As portas estão abertas para quem quiser ler, colaborar, divulgar, escrever no blog e participar da fanpage do Facebook, e para todas as demais atividades que possam promover e enriquecer o projeto.

10. Vocês têm algum recado para a nossa Portuguese Language Division?

Queremos criar uma categoria de entidades de tradução e começar a listar as diversas entidades nacionais e internacionais. Queríamos aproveitar e sugerir que vocês criem uma página na TradWiki falando da ATA e da PLD, inclusive mencionando esta entrevista. Na TradWiki, ninguém precisa pedir autorização ao “dono”; é chegar lá, criar a página e começar a escrever o artigo. O que vocês criarem será ótimo, ganho para todos. O espírito de colaboração que estamos buscando se fortalece com ações desse tipo. É importante que as entidades, como a ATA, percebam a TradWiki como mais um braço de atuação.

 

Pablo Cardellino Soto desenvolveu a TradWiki e vem cuidando de toda a parte técnica. Tradutor e pesquisador de literatura traduzida, é bacharel em Letras, mestre e doutorando em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina. Uruguaio, traduziu obrasde Machado de Assis e de Carlos Eduardo de Magalhães para o espanhol. Com Walter Carlos Costa, traduziu O colóquio dos cães, de Cervantes, As Hortensias, de Felisberto Hernández, e Torquator, de Henry Trujillo, além de Um ano, de Juan Emar, para o português, entre outros textos. Publica regularmente resenhas e artigos sobre tradução em livros e revistas acadêmicas.

Daniel Argolo Estill idealizou e coordena o projeto da TradWiki. É tradutor técnico e literário desde 1992 e doutorando em Estudos da Linguagem com foco nos Estudos da Tradução da PUC-Rio.

Roseli Dornelles dos Santos é uma das administradoras e colaboradora regular da TradWiki. Tradutora e revisora desde 2006 no par de línguas italiano-português, atualmente tem mais de 20 obras publicadas. Professora de italiano desde 1993 e doutoranda no programa de Língua, Literatura e Cultura italiana da USP, desenvolve pesquisas na área de lexicografia bilíngue.

One Comment

  1. Pingback: Entrevista com administradores da TradWiki – Parte 1 - PLD

Leave a Reply

Required fields are marked *.



4 − three =