June 7, 2017
0 comments

Como ganhar mais traduzindo

abrates

Maria Helena Giordano

Nos dias 26 e 27 de maio de 2017, participei do VIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Tradutores (ABRATES), evento realizado no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo. Participei de várias palestras, mas achei muito interessante uma sobre “Como ganhar mais traduzindo”, pois a autora deu dicas essenciais para a produtividade e avaliou as categorias das agências de traduções.

A palestra foi apresentada pela tradutora Val Ivonica, que primeiramente mencionou que, para se ganhar dinheiro traduzindo, é importante definir o valor mínimo e o máximo que se deseja cobrar. Depois de estabelecer o preço com o cliente, precisamos aumentá-lo periodicamente e, para quem quiser cobrar mais, ajuda muito ter especialização em determinada área e informar o cliente sobre isso. Prestar serviços relacionados com a tradução, como converter arquivos por exemplo, agrega também valor à sua imagem e você pode cobrar um diferencial por isso.

Val comparou os serviços de uma agência de tradução com uma pirâmide. O cliente recorre a uma agência e esta, por ter muitos clientes, recorre a uma segunda agência com o objetivo de terceirizar. Essa segunda, por vez, recorre também a uma terceira agência e assim por diante. Portanto, quanto mais baixa a agência estiver na pirâmide, mais baixo será o valor pago ao tradutor. No Brasil, a maioria das agências está colocada no patamar mais baixo. Assim sendo, o ideal seria aceitar trabalhos no patamar mais alto da pirâmide para poder ganhar mais.

Photo Credit: ABRATES

Photo Credit: ABRATES

A palestrante destacou os fatores que devem ser considerados para aumentar a produtividade. A primeira coisa seria usar ferramentas CAT e de auxílio, como glossários, atalhos, predictive typing, etc.. Usar a tradução automática também foi uma sugestão, sendo que com isso é possível alcançar um rendimento de 6.000 a 8.000 palavras por dia, mas será necessário arcar com os custos das ferramentas, o que está na média de US$ 950,00. O ditado e a digitação rápida também são recursos utilizados para aumentar a produtividade, existindo atualmente tutoriais específicos para tanto.

Outro fator importante a se considerar, para uma maior rapidez, são os agregadores de conteúdo, como os dicionários e sites para referência. Val mencionou que usa o GoldenDic, um programa onde se pode incluir vários dicionários, sites de busca como Babylon, o glossário do Ivo Korytowski, a wikipédia brasileira e a americana, entre outros recursos de pesquisa. Segundo ela, o Copernic, um programa que busca as informações solicitadas na pasta do seu computador, também é interessante e otimiza o tempo do tradutor.

Por fim, para perder menos tempo, deve-se também levar em consideração o seguinte:

  • ter um equipamento decente
  • procurar se distrair menos e concentrar-se na tarefa a fazer
  • seguir a abordagem monotarefa
  • descansar 5 minutos após 20 a 30 minutos de trabalho (método Pomodoro)
  • alongar-se nos intervalos para retornar com maior energia
  • sair das redes sociais
  • monitorar o computador para verificar onde você gastou seu tempo
  • considerar os aspectos da ergonomia e fazer exercícios para os olhos

Enfim, Val concluiu que se o tradutor levar todos os fatores mencionados em consideração, a nossa produtividade será melhor e, consequentemente, o nosso ganho também. Para ela, precisamos ter sempre em mente que qualquer pequena mudança que possa parecer simples ou banal poderá fazer grande diferença no resultado final.

Para mais informações e slides da palestra, visite o blog da palestrante.


4E92A3AF-8857-4564-A6B5-51920FA8E190MARIA HELENA GIORDANO é tradutora e professora de inglês em Campinas, São Paulo. É formada pelo curso de Pós-Graduação de Tradução da Faculdade Estácio de Sá e membro da Associação Brasileira de Tradutores (ABRATES). No momento, participa do programa de mentoria Caminho das Pedras, organizado pela ABRATES, e é mentorada pela tradutora e membro da PLD Rafa Lombardino.

June 1, 2017
0 comments

A Message from ATA President David Rumsey

Our current ATA President, Mr. David Rumsey, spent the past few days visiting the city of São Paulo, in southeast Brazil. He was one of the guest speakers at the Brazilian Association of Translators and Interpreters (ABRATES) Conference, which welcomed 800 attendees last weekend.

Mr. Rumsey talked to a full audience about the U.S. Market for Translators and Interpreters. He also explained the importance of being an ATA member, the certification exam and how the Portuguese Language Division works.

According to him, Brazil holds the second largest population of ATA members outside the U.S., coming right after Canada. Before going back home, he left us a warm message about his experience in São Paulo, which we share here.

The next ABRATES Conference will be held in 2018 in the city of Rio de Janeiro.


eleniceELENICE BARBOSA DE ARAUJO is an independent EN<>PT-Br translator from Brazil who is based in São Paulo. She has a degree in translation and interpretation from Associação Alumni and a bachelor’s degree in Education from the Pontifical Catholic University of São Paulo (PUC-SP). In her 16 years as a professional translator, editor and proofreader, she has translated fiction and non-fiction books, as well as magazine articles for many publishing houses. Additionally, she produces and reviews editorial, institutional, and digital content for several companies. She teaches Translation Practice as a visiting teacher at the Department of Post Graduation and Continuing Studies (Cogeae) at PUC-SP.

April 27, 2017
0 comments

Member Spotlight: Let’s Meet Marcos Cunha Aquino

marcos fotoName
Marcos Cunha Aquino

Where I live:
São Lourenço, Minas Gerais, Brazil

What I do:
I work as a freelance linguist from my home office. I offer translation, editing and proofreading services from English into Brazilian Portuguese and from Spanish into Brazilian Portuguese. I also work on language quality assurance (LQA) projects in the same language pairs.

I’m proud of:
I am proud to be a hands-on parent and provide my two daughters with a great foundation for life. As a home-based freelancer, I take great joy in being present in their lives, seeing them grow and helping them with anything they need.

My wife and I are a team and she takes care of the books and all our paperwork. She is also our ‘logistics director,’ making sure our kids go to and from school and all their classes, including English, music and ballet.

My background:
I have a degree in Foreign Language Teaching (Portuguese and English) from the Universidade Cruzeiro do Sul, in São Paulo, as well as a specialization in English Literature from the Universidade de São Paulo (USP). For seven years I taught English, English for Specific Purposes (ESP), English Teaching Methodology, and English and North-American Literature at the Universidade Cruzeiro do Sul.

Tired of the big city, I decided to move to São Lourenço, a small town and thermal spring resort in the state of Minas Gerais, where I have lived for ten years. As a freelance linguist, I work mostly on technical, e-learning, human resources and IT projects.

Why do I belong to the PLD?
I joined PLD for the pleasure of contributing in any way I can to our group discussions and, mostly, to learn from colleagues’ experiences.

Major challenge in my career:
The hardest challenge is definitely juggling several projects at once and managing my time in order to deliver them within the agreed deadlines.

Reading:
I am finally reading “One Hundred Years of Solitude,” by Gabriel Garcia Marquez, which is considered one of the most important works in Latin American literature. It is a story about a large family who founded the village. Generation after generation, all the family members seem destined to a life of loneliness.

Unforgettable projects:
I am now working on a large IT project related to information security. My most interesting project, however, was proofreading a film script. It was an adaptation of a book entitled “Papers in the Wind,” by Eduardo Sacheri, an Argentinian writer. I proofread the translation from Spanish into Brazilian Portuguese. The job was assigned to me by a translation agency, so I never met the author or the translator, but I know that the film was released internationally in Spanish as “Papeles en el Viento” in 2015, with subtitles in Portuguese and English.


TerezaBragaMembers are interviewed by Tereza Braga, former PLD Administrator and current member of the PLD Leadership Council. Tereza has dual citizenship and a freelance business based in Dallas. She specializes in corporate communications and is ATA-certified in both directions.